En la Solidaridad y Misión

Como Missionário Claretiano, que trabalha na animação missionária provincial e num centro educativo, penso que temos muito a fazer. Tento animar meus irmãos Claretianos do Brasil na sensibilidade e articulação em torno das opções de SOMI. Solidariedade e Missão e JPIC, Justiça, Paz e Integridade da Criação. Encontramos resistência, mas muitos se sensibilizam. Tenho buscado mais encontros pessoais com o mundo dos pobres e misérias: ouvir suas histórias, suas frustrações e esperanças. E, a partir daí, articular algumas iniciativas. Tenho me dedicado há anos, mesmo que por pouco tempo, a assistir indígenas no Estado do Mato Grosso, com ações solidárias no campo da educação, saúde e evangelização... Viver o AMOR cristão, ao estilo de CLARET, nosso Pai e Fundador, com caridade, assistindo e apoiando resgate de pessoas, buscando ações de promoção humana e incentivando ações de incidência política. ___ Ronaldo Mazula, CMF [Prefeito de Apostolado da Província do Brasil]

“A experiência pessoal junto dos mais pobres tem sido um caminho belo de escuta, acolhimento e fé. Desde 2007, com outros missionários claretianos e com voluntários missionários, tenho vivido um tempo de graça e de missão. Sair e partilhar a vida junto dos mais pobres fez-me crescer e ser o que sou hoje: missionário. Fico muito feliz quando todos juntos fazemos com que aconteça a diferença!” ___ João Luís Alves, CMF [Colégio Universitário Pio XII de Lisboa - Portugal, Procura das Missões Claretianas e Membro do Governo Provincial de Fátima]

"¡Somos misioneros! La Misión pertenece a nuestra identidad más profunda". | "We are missionaries! The Mission belongs to the core of our most fundamental identity".

MS 1 (Cf. CC 2; Dir 26.)